• Albufeira
  • Alfragide
  • Almada
  • Amadora
  • Aveiro
  • Braga
  • Coimbra
  • Gaia
  • Gondomar
  • Leiria
  • Loulé
  • Maia
  • Matosinhos
  • Sintra
  • Torres Vedras
A minha loja

Selecione a sua loja e descubra a disponibilidade dos produtos.

  • Albufeira
  • Alfragide
  • Almada
  • Amadora
  • Aveiro
  • Braga
  • Coimbra
  • Gaia
  • Gondomar
  • Leiria
  • Loulé
  • Maia
  • Matosinhos
  • Sintra
  • Torres Vedras
0 0,00€
0,00

Como escolher a sua sanita

                                                                  

01. Introdução 

Suspensa ou de pousar, com ou sem triturador, a sanita adapta-se a todas as configurações, independentemente da evacuação estar perto ou não da sua localização. Cada vez mais prática, higiénica e silenciosa, também promove a poupança de água. As novas formas design facilitam a manutenção e os vários acessórios permitem personalizá-la para se adaptar a qualquer estilo.

        - Composição da sanita (Passo 2)
        - Sanita de pousar ou suspensa? (Passo 3)
        - Pontos a não negligenciar (Passo 4)
        - Acessórios (Passo 5)

02. Composição da sanita 

A sanita é constituída por três elementos incontornáveis.

          - Bacia: pousada no chão ou suspensa (sobre suporte).
          - Tanque: simples ou dupla descarga, fixado à bacia ou separado.
          - Mecanismo de enchimento e autoclismo.

O primeiro, geralmente com flutuador, está ligado à entrada de água. O segundo garante a evacuação. É acionado através de um botão de pressão integrado ao tanque, de um comando mural (sanita suspensa) ou de um manípulo (tanque hidropneumático, tipo hidrocisterna Griffon).

                                         
Em instalações convencionais, a entrada de água está localizada na lateral do tanque (parte baixa ou alta) ou abaixo.

03. Sanita de pousar ou suspensa? 

                                                         
Os packs sanita de pousar incluem o mecanismo de autoclismo, as fixações do tanque e de chão. Por vezes, também incluem a válvula de corte.

Sanita de pousar: a constituir ou em pack

         - Fórmula clássica, em que o espaço ocupado é o principal inconveniente.
         - O comprimento total (bacia + distância parede/sifão) determina a profundidade da sanita: 79 a 80 cm, aproximadamente.
         - No entanto, existem modelos de pequenas dimensões, frontais ou de ângulo, que libertam alguns centímetros preciosos.

As larguras e alturas das bacias de pousar estão próximas umas das outras: 35 a 38,5 x 38 a 41,5 cm. Relativamente às bacias sobrelevadas (48 cm por convenção), estas melhoram o conforto das pessoas idosas ou com deficiência.

                                                         
Este sistema facilita a limpeza da bacia e superfícies circundantes: paredes e chão.

Sanita suspensa: moderna e muito estética

          - Montadas sobre um suporte técnico, o tanque e a canalização desaparecem atrás de um revestimento de parede.
          - Só a bacia e o comando do autoclismo ficam visíveis.
          - A bacia é ajustável em altura de acordo com o tamanho dos utilizadores.

Outra vantagem, o ruído do enchimento é fortemente reduzido.

                                                       

Sanita trituradora: instalação fácil e rápida

           - Basta instalar, perto do local, uma entrada de água e uma alimentação elétrica (tomada ou saída de cabo 2 P + T).
           - Principal inconveniente: não funciona em caso de falha no fornecimento elétrico.

3 tipos de sanitas trituradoras

           - Exterior, bloco bomba/trituração montado à saída da bacia (um pouco visível),
           - Sanita compacta (monobloco) com autoclismo e sistema de trituração incorporados na bacia,
           - Integrado num suporte ou embutido numa cofragem, com bacia a suspender.
 
O tubo de descarga, em PVC, pode percorrer longas distâncias na horizontal.

           - 20 a 60 m consoante a potência da bomba do triturador e o diâmetro da evacuação.
           - Se a canalização de águas sanitárias é acessível apenas no piso superior ou inferior, a evacuação pode ser realizada em descarga vertical sobre 3 a 4 m de altura (pelo menos).

Sanita química: higiénica

           - Uma solução higiénica e de conforto, onde um sistema de canalização é problemático (campismo, caravanismo, nautismo...).
           - Requer o uso regular de aditivos que dissolvem as matérias e neutralizam os odores.
           - Transportável numa male de carro.

Conselho: Uma bacia colocada à altura correta com barras de apoio simplifica muito a vida das pessoas com deficiência.

04. Pontos a não negligenciar 

Pontos a não negligenciar
                                      
As bacias de cerâmica anticalcário e as tampas tratadas contra a proliferação bacteriana simplificam a manutenção e proporcionam uma melhor higiene.

Sanita de pousar
A orientação da saída deve corresponder ao posicionamento da conexão da evacuação.

Sanita suspensa

          - Existem vários tipos de cano.
          - Conforto, higiene, manutenção
          - Privilegiar os mecanismos silenciosos.
          - Existem produtos com tampa magnética, que pode ser completamente separada da sanita, o que simplifica a sua manutenção.
           - A tampa com queda amortecida evita o bater ruidoso, proporcionando ao mesmo tempo segurança para as crianças (evita o entalamento dos dedos).

Conselho: A marca NF garante a qualidade de fabrico dos seus sanitários, em todos os seus aspetos.

05. Acessórios 

Para personalizar a sanita: existem botões de descarga e placas de cores variadas ou com desenho. Pensar em verificar a sua compatibilidade com a sanita suspensa.

                                            
                                 Larga escolha de tampas e acessórios complementares: porta-rolos, piaçaba...

                                            
      Ambiente rétro e solução de economia de espaço com esta sanita com tanque hidropneumático (sem flutuador).