• Albufeira
  • Alfragide
  • Almada
  • Amadora
  • Aveiro
  • Braga
  • Coimbra
  • Gaia
  • Gondomar
  • Guimarães
  • Leiria
  • Loulé
  • Maia
  • Matosinhos
  • Montijo
  • Sintra
  • Torres Vedras
  • AKI Ermesinde
  • AKI Porto
A minha loja

Selecione a sua loja e descubra a disponibilidade dos produtos.

Lojas LEROY MERLIN

  • Albufeira
  • Alfragide
  • Almada
  • Amadora
  • Aveiro
  • Braga
  • Coimbra
  • Gaia
  • Gondomar
  • Guimarães
  • Leiria
  • Loulé
  • Maia
  • Matosinhos
  • Montijo
  • Sintra
  • Torres Vedras

Lojas AKI

  • AKI Ermesinde
  • AKI Porto
0 0,00€
0,00

Modificar e criar pontos de luz



Saiba como criá-los facilmente, com soluções imaginativas e de uma forma segura.

01. Ferramentas 

Serra tico tico Maço Guia passa-cabos Berbequim
Broca de carboneto de tungsténio Broca para madeira Busca-pólos Alicate de corte
Ponteiro Alicate descarnador Alicante de ponta com isolamento Chave de fendas
Serrote de ponta Serra de arco para metal Espátula Pistola de silicone
 
Escova Chave de fendas de eletricista Serra cónica  

02. Materiais 

Abraçadeiras Mástique Conectores Calhas
Cola de gesso Buchas e parafusos Parafusos Mangueira elétrica
     
Cola para montagem de calhas      

03. Precauções 

Quando são realizadas instalações elétricas, convém ter em conta algumas precauções:

- Desligar o disjuntor geral do quadro elétrico.

- Respeitar as normas vigentes, que figuram no REBT (Regulamento Eletrotécnico de Baixa Tensão). Em caso de dúvida, consultar um especialista.

- Usar sempre ferramentas e produtos homologados.

04. Soluções simples 

Por vezes, só precisa de realizar uma pequena deslocação de um ponto de luz. Para estes casos, existe uma solução decorativa muito simples que consiste em escolher um resguardo para o ponto de luz e um candeeiro com um design moderno para criar um conjunto que consiga dar um toque decorativo.

Se a divisão for muito grande e os pontos de luz estiverem situados nas paredes, a solução é instalar apliques de parede equipados de focos halogéneos.

Os focos halogéneos produzem o dobro de intensidade de luz dos candeeiros incandescentes normais. Orientados para o teto onde é necessário mais iluminação, criarão uma luz ambiente bastante acolhedora. A única limitação reside na necessidade do teto estar em bom estado.

Se escolher refletores metálicos para os halogéneos, melhora a projeção de luz e reduz a temperatura acumulada no suporte e na parede. Desta forma contribui para o prolongamento da sua duração e evita que a parede fique suja.



Conselho

Nos espaços grandes com zonas que tenham grande necessidade de luz não opte por luz ambiente.
Use pontos de luz independentes e adequados para cada zona, que lhe permitam economizar e racionalizar o uso de energia.

05. Instalação em móveis de cozinha 

Quando o problema é a falta de tubagens para levar o cabo da luz, os móveis podem ser um excelente aliado para resolvê-lo.

A solução mais clássica é a de aproveitar os móveis altos da cozinha, que costumam vir equipados com um resguardo que serve precisamente para tapar as luzes e as suas ligações.

Este sistema de iluminação é muito importante, não só pelo lado estético da luz branca indireta no conjunto da cozinha, mas também porque iluminam perfeitamente as zonas de trabalho da bancada.

Para instalar lâmpadas debaixo dos móveis altos da cozinha, siga as indicações que se descrevem de seguida:





Materiais

- Escolher lâmpadas de tubo fluorescentes homologadas para instalar em zonas de humidade, dado que as zonas baixas dos móveis estão sujeitas à condensação de vapor de água e óleo.

- Realizar a instalação com um cabo anti humidade de 3 fios de 1 mm de secção. Pode fixá-lo com braçadeiras de forma tradicional, mas é preferível usar calhas de 2 x 2 cm. São mais fáceis de instalar e limpar.
Instalação


1 - Marcar os furos dos parafusos dos pontos de luz e realizar um pequeno furo prévio com uma broca de 3 mm para poder orientar corretamente os parafusos.

2 - Estabelecer o traçado do cabo. Se precisar de passar pelo extrator de fumos, talvez possa fazê-lo direcionando o cabo por detrás dos móveis, nos espaços que habitualmente ficam livres na junção dos móveis com os frisos.

Se não for possível, terá que realizar furos na base e no topo dos armários mais próximos do extrator. Para esse efeito, usar uma broca de 10 mm para madeira e fazê-los o mais perto possível do fundo do móvel. 

3 - Cortar a medida de calha necessária com uma serra de arco para metais e colocá-la entre os dois furos realizados no móvel usando uma cola de montagem.

4 - Nas prateleiras, marcar com um lápis na parte posterior o lugar por onde vai passar a calha. Desenhar na prateleira o contorno completo desta última, dando-lhe 2 cm de fundo. Fazer furos com uma broca de madeira no interior dos cantos do contorno que desenhou e cortar com uma serra de recortes a figura desenhada. 

5 - Com a mesma cola, fixar o resto das partes de calha que tiver preparado. Pode fazer chegar a calha até à ligação mais próxima de uma tomada de cozinha, respeitando sempre a instalação duma ligação à terra.

6 - Realizar a ligação das lâmpadas em paralelo. Para esse efeito, pode introduzir conectores aproveitando a própria caixa dos aparelhos e retirar delas as derivações para conectá-los, até chegar ao último, que se liga diretamente.

06. Instalação noutros móveis 

Seguindo um esquema similar ao referido para a cozinha, pode pensar também na solução de recorrer à traseira dos móveis com uma calha para outros lugares da casa.

Assim, quando não há ponto de luz no teto, os móveis altos ou as estantes podem ser plataformas privilegiadas para instalar pontos de luz. Se optar por esta fórmula ser-lhe-ão úteis as seguintes sugestões: 

- Se a parede for branca, usar uma calha de 2 x 2 cm da mesma cor para levar o cabo junto ao rodapé. Também pode pintar a calha com um esmalte especial para superfícies em PVC com uma cor igual à da parede. 

- Levar a calha por detrás do móvel, deixando um interruptor de superfície a uma altura acessível.

- Escolher o tipo de aplique que prefire para colocar em cima do móvel. Deve ter em conta que o uso de transformadores ou de halogéneos de alta temperatura pode deteriorar a madeira e, no caso dos móveis lacados, podem ficar amarelos na parte superior. Para evitá-lo, colocar uma pequena proteção de fibra de vidro debaixo dos candeeiros ou do transformador. Uma das instalações clássicas quando é preciso iluminar distintos pontos no teto são as calhas de teto.

07. Instalações visíveis 

Uma das instalações clássicas quando é preciso iluminar distintos pontos no teto são as calhas de teto.

As calhas de teto alimentam-se mediante um transformador de 12 V que, geralmente, faz parte dum kit com todos os elementos de montagem. Os cabos podem atravessar a divisão e possuem suportes que permitem traçar ângulos. 

Existem vários suportes e modelos de focos (spots) para ligar, mas todos têm em comum o facto de se fixarem com facilidade aos cabos que são revestidos e de baixa tensão, não oferecendo qualquer perigo. Para montá-los, pode seguir as indicações da ficha "Instalar calhas de teto".

08. Criar ou deslocar um ponto de luz 

A criação dum ponto de luz encastrado numa parede ou num teto falso sem qualquer tubo instalado para os cabos, faz-se através de um rasgo. Nestes casos atua-se como se fosse uma obra nova e pode seguir as indicações da ficha "Instalar cabos e mecanismos elétricos".

Atenção
Lembre-se que para manipular os cabos dos registos deve desligar esses circuitos e para verificar a ausência de corrente, deve utilizar um busca-pólos.

Outra situação distinta é deslocar um ponto de luz num teto falso. Neste caso o procedimento é o seguinte: 

1 - Não pode juntar cabos aos que já existem. Portanto, se o cabo for curto para chegar até ao novo ponto, terá de substitui-lo como explicado mais à frente.

2 - Localizar e marcar o novo ponto de luz no teto. Fazer um furo usando uma serra de coroa com um diâmetro ligeiramente superior ao do cabo que vai servir para prolongar aquele já existente. Convém que este novo tubo seja um pouco maior para poder encastrar nele o antigo.

3 - Para poder trabalhar sobre o teto falso, convém abrir um novo furo um pouco maior que o anterior. Usar o berbequim e um serrote de ponta especial para gesso cartonado. 

Este furo deve estar alinhado com os anteriores e a cerca de 10 cm do novo ponto de luz para que lhe sirva de abertura. Deste modo, não danifica a zona do novo ponto de luz nem terá de esperar pela secagem da reparação para colocar o candeeiro. 

4 - A partir deste furo pode introduzir uma guia até ao ponto antigo (amplie-o um pouco com a serra para trabalhar mais comodamente) e levar os cabos até ao novo ponto de luz. Fazer uma ligação adequada para conseguir guiar os cabos através do tubo.

5 - Abrir a caixa através da qual, pela sua posição, passa o tubo e puxar os cabos até encontrar a junção. Substituir agora os cabos velhos e ligar os novos no sítio certo.

6 - Passar o tubo novo introduzindo os cabos através do novo ponto e fazer chegar até ao antigo para que fiquem bem encastrados um dentro do outro. O novo tubo fica assim perfeitamente instalado no seu lugar definitivo.

7 - Para rematar os furos no gesso, preparar a massa de gesso e aplicar com uma espátula à volta das beiras. Se os furos forem grandes, terá de proceder em várias camadas para deixar secar essa espécie de "buraco" que resultou da primeira instalação. 

8 - Uma vez fechados e secos, betume-os com uma massa. Se o teto estiver pintado do tipo "gota", pode imitar esse efeito lançando a mesma massa com os fios de nylon duma escova. Para isso, pressione a escova impregnada num pouco de massa, na beira duma superfície rígida (uma talocha, por exemplo) e liberte pouco a pouco os fios. A massa sairá disparada contra a superfície e ficará colada formando gotas.

9 - A ligação na abertura faz-se simplesmente ligando os cabos ao seu conector, tal como estavam os antigos.