• Albufeira
  • Alfragide
  • Almada
  • Amadora
  • Aveiro
  • Braga
  • Coimbra
  • Gaia
  • Gondomar
  • Leiria
  • Loulé
  • Maia
  • Matosinhos
  • Sintra
  • Torres Vedras
A minha loja

Selecione a sua loja e descubra a disponibilidade dos produtos.

  • Albufeira
  • Alfragide
  • Almada
  • Amadora
  • Aveiro
  • Braga
  • Coimbra
  • Gaia
  • Gondomar
  • Leiria
  • Loulé
  • Maia
  • Matosinhos
  • Sintra
  • Torres Vedras
0 0,00€
0,00

faça você mesmo

Emissores termoelétricos, um sistema de aquecimento eficiente

Para além de serem um sistema de aquecimento fixo estes emissores são também um elemento decorativo para a sua casa

  • 01. Introdução
    Os emissores termoelétricos são um tipo de aquecimento fixo que funciona conectando-se à rede elétrica da sua casa. São equipamentos programáveis e funcionam distribuindo o calor gradualmente graças ao emissor que aquece de forma progressiva até alcançar a temperatura programada e, uma vez desligado, leva muito tempo a arrefecer.

    Isto é uma vantagem se pensar em instalá-lo em divisões em que permanece muitas horas seguidas porque mantém o calor durante uma hora depois de deixar de funcionar. Os emissores também podem ser um elemento decorativo para o seu lar: disponíveis numa ampla gama de modelos, são fabricados em vários tipos de material para combiná-los com o estilo da sua casa.

    -         Como funcionam os emissores termoelétricos? (Passo 2)
    -         O que deve ter em consideração antes de escolher um emissor termoelétrico? (Passo 3)
    -         Tipos de emissores termoelétricos (Passo 4)
    -         Porque escolher um emissor termoelétrico? (Passo 5)
    -         Quanto consome um emissor termoelétrico? (Passo 6)
    -         Onde colocá-lo? (Passo 7)

    Em resumo:
    -         Devem ser aparafusados à parede e ligados a uma tomada elétrica.
    -         Os emissores cerâmicos proporcionam calor de forma rápida e fazem com que ele perdure muito mais tempo depois de desligar o emissor.
    -         São programáveis o que permite otimizar o consumo, e são um sistema de aquecimento limpo que não gera gases nem odores.
  • 02. Como funcionam os emissores termoelétricos?
    Existem vários tipos de emissores termoelétricos podendo ser emissores secos, fluídos ou cerâmicos. Estão equipados com um termostato de regulação da temperatura de alta sensibilidade, o que permite determinar a temperatura desejada a qualquer momento para cada divisão onde tem um destes equipamentos instalado. Funcionam de forma autónoma permitindo assim usá-los apenas quando precisa.

    Estes radiadores são muito mais fáceis e rápidos de instalar do que os radiadores de água. Devem ser fixados à parede através de dois pequenos suportes a aparafusar e ligados à rede elétrica. O material geralmente usado é o alumínio dado que o radiador deve ser um bom condutor térmico e este material possui um fator de transmissão de calor muito elevado.
  • 03. O que deve ter em consideração antes de escolher um emissor termoelétrico?
    Para escolher um emissor térmico deve ter em consideração vários fatores:         
     
    As dimensões da divisão onde vai ser colocado sendo importante calcular os metros quadrados da divisão a aquecer.
     
    isolamento é uma das considerações mais importantes porque se tiver um bom isolamento nas paredes, tetos e janelas não irá precisar de tanta potência calorífica para aquecer a sua casa. Em contrapartida, caso não tenha um isolamento adequado, a despesa de aquecimento será muito mais elevada.
     
    zona climática em que vive. A temperatura da área geográfica onde vive influencia a potência do emissor que precisa dado que, dependendo se o clima é suave, frio ou muito frio, deverá usar mais potência para alcançar uma temperatura confortável.
     
    orientação da divisão uma vez que, dependendo da sua orientação (Norte, Sul, Este ou Oeste), a divisão será mais ou menos fria.
     
    uso que lhe vai dar, isto é, se a ideia for ligá-lo durante um elevado número de horas ou, se pelo contrário vai fazer um uso eventual do emissor.
     
    Terá de escolher a potência do seu emissor de acordo com estes fatores para otimizar o seu desempenho.
  • 04. Tipos de emissores termoelétricos
    Os emissores termoelétricos são classificados em três tipos:
     
    Com tecnologia seca: Geram calor mais rapidamente, incluem também uma estrutura de alumínio e chapas de elevada capacidade calorífica que integram núcleos de resistência que aumentam o desempenho do aparelho. Este modelo faz com que a sensação de calor seja maior, bem como a rapidez de aquecimento porque, ao ligá-los, a resistência que incorporam aquece o metal do emissor. São especialmente recomendados para divisões que quer aquecer rapidamente.
     
    De fluido: Trata-se dos mais comuns no mercado, pois têm uma elevada inércia térmica, o que significa que, apesar de requerem mais tempo para aquecer do que os de tecnologia seca, mantêm o calor por mais tempo. Incluem um fluido e têm uma estrutura de alumínio e uma resistência que aquece este fluido. O sistema tem um núcleo que distribui uniformemente o calor em todo o aparelho e o rendimento energético é ótimo. São 100% à prova de água e não necessitam de qualquer vigilância. São adequados para instalações completas, onde usa o equipamento para um sistema de aquecimento integral da sua habitação.
     
    Emissores cerâmicos: Têm as vantagens dos emissores com tecnologia seca e dos de fluido. São semelhantes aos de tecnologia seca porque têm uma estrutura de alumínio e uma resistência, mas também incorporam no seu interior uma pedra (cerâmica) de alta inércia térmica. O sistema tem a vantagem da rapidez de um emissor com aquecimento direto (como o emissor com tecnologia seca) e da inércia térmica proporcionada pelo bloco de pedra (como o emissor de fluido). Isso torna-os adequados para qualquer tipo de instalação.

  • 05. Porque escolher um emissor termoelétrico?
    Os emissores termoelétricos são também chamados ecoemissores. Isso porque são especialmente concebidos para alcançar a máxima poupança de energia elétrica gerando calor, uma vez que não efetuam nenhum processo de combustão. Ao usar a energia elétrica, funcionam de forma limpa e renovável. Além disso, como têm uma inércia térmica muito elevada (capacidade de retenção do calor) oferecem uma redução do consumo em comparação com os radiadores tradicionais. É um sistema de aquecimento que não seca o ambiente, não suja as paredes e não gera odores. 

    São recomendados para casas com necessidades de aquecimento moderadas porque têm um excelente isolamento térmico, ou porque estão localizadas em áreas geográficas com frio moderado, ou para casas de tamanho médio. Em superfícies mais amplas recomenda-se a substituição destes emissores por outros sistemas de aquecimento.

    Há uma grande variedade de emissores termoelétricos com diferentes potências permitindo a sua adaptação para divisões de diferentes dimensões. Cada emissor pode ser configurado de forma independente, uma vez que são programáveis, sendo possível ajustar a temperatura e programar o horário em cada divisão da sua casa separadamente. Portanto, são ideais para qualquer tipo de divisão.
  • 06. Quanto consome um emissor termoelétrico?
    A tecnologia que os emissores térmicos incorporam realiza uma gestão muito eficiente da energia, o que resulta numa grande poupança na fatura elétrica. Além disso, consomem apenas o necessário, sem perder um quilowatt de energia. A otimização da energia deve-se à estrutura de alumínio de injeção/extrusão que transmite em 100% a energia gerada. Tem um poder de transmissão do calor muito elevado que se une ao alto poder de radiação emitido em 75% em todas as direções.

    Por outro lado, estes equipamentos incorporam geralmente cronotermostatos que permitem selecionar a temperatura e o tempo de funcionamento em relação ao ritmo que o utilizador pretende. Os cronotermostatos incluídos permitem realizar programações personalizadas para cada dia da semana. Estas características resultam numa poupança em termos de consumo e conforto do lar. Alguns emissores têm um sistema de regulação proporcional para que saiba a qualquer momento qual é a temperatura adequada que deve programar. Além disso, se não quiser, pode evitar que a temperatura aumente em excesso uma vez que reduz a potência calorífica do sistema à medida que este alcança a temperatura selecionada. Tudo isso significa que consome apenas o necessário, sem desperdício, e alcança a temperatura ideal programada.
  • 07. Onde colocá-lo?
    Os emissores térmicos são ideais para instalar em casas que precisam de um reforço de aquecimento, tais como blocos de apartamentos com sistema centralizado em que a hora de funcionamento e paragem do aquecimento nem sempre coincide com as suas necessidades específicas. Como podem ser programados, pode ligá-los nos momentos em que mais jeito lhe dá e aquecer as divisões de que precisa à temperatura que quiser e quando quiser.

    Os espaços em que geralmente são mais úteis são aqueles que não têm radiadores, como por exemplo, casas de banho e cozinhas. No entanto, também pode instalá-los noutras divisões como opção de aquecimento e prescindir dos radiadores tradicionais. Apresentam uma grande variedade de modelos e materiais pelo que não terá qualquer dificuldade em escolher aquele que melhor se adapta ao estilo das divisões onde pretende instalá-lo. Além disso, existem alguns modelos em placa que pode pintar da mesma cor das paredes para que passem completamente despercebidos.

Esta página ajudou?

Sim Não