Escolha a sua loja

Para continuar a navegar no nosso site por favor escolha a sua loja de preferência

Escolher

FAÇA VOCÊ MESMO

Saiba mais sobre betoneiras

Composição de uma betoneira

Tambor 

 

Metálico e cilíndrico, roda a cerca de 25 rpm. Helicoidais e fixas, as suas pás mexem a mistura para torná-la homogênea.
 

Motor

 

Serve para rodar o tambor. Para esse efeito, aciona um pinhão que faz rodar uma coroa fixa à volta dele. De diferentes potências e coberto com uma tampa de plástico e/ou metálica.
 

Volante

 

Colocado na lateral do tambor, permite rodá-lo para baixo para esvaziá-lo e depois reerguê-lo novamente. Terá diferentes posições conforme a carga e descarga. Leva um travão de segurança.
 

Chassis

 

Está equipado com 2 rodas que servem para movimentar a betoneira (e em alguns modelos para ser rebocado por um veículo). Sempre adaptado ao peso da máquina e à sua capacidade de mistura, também pode ser reforçado para uma melhor estabilidade.
 

Coroa

 

É a peça que faz girar a cuba. Elemento essencial para a longevidade da máquina.
Em ferro fundido, é muito mais resistente e pode ser substituída. Seja qual for o material, deve ser protegida por uma espécie de tampa. Desta forma, reduz o risco de acidentes e impede o mecanismo de ser danificado pelo cimento, areia, argamassa, betão e outros detritos.
 

Rodas

 

De diferentes tamanhos, melhora a estabilidade com o aumento do diâmetro.
Equipadas com pneus insufláveis (e não pneus sólidos), permitem também rebocar a betoneira.

Betoneiras elétricas

 

Vantagens
 

  • Estas máquinas são as mais comuns;

 

  • De menor capacidade e mais leves do que as máquinas térmicas, são mais fáceis de manobrar;

 

  • Utilizáveis num espaço fechado, são geralmente as mais baratas.



Inconvenientes
 

  • Este material não foi concebido para um uso intensivo.

 

  • E a menos de ter um gerador, a obra deve ser alimentada em energia elétrica. A ligação efetua-se através da tomada de terra (2P + T), alimentada por uma linha de capacidade suficiente (20 A) e protegida por um dispositivo diferencial (interruptor ou disjuntor).

Betoneiras térmicas

 

Vantagens

 

  • Graças ao seu motor a gasolina, funcionam em qualquer lugar;

 

  • São também as mais potentes e robustas, e portanto as mais adequadas às obras de grande dimensão;

 

  • Finalmente, é este tipo de modelo que pode ser rebocado por um veículo.



Inconvenientes
 

  • O peso e o volume sonoro permanecem importantes nos modelos com motor térmico;

 

  • Os gases de escape obrigam a trabalhar no exterior (ou a ventilar seriamente o espaço de trabalho);

 

  • Em condições de frio, é necessário aquecer o motor para alcançar a sua capacidade plena.

Tipos de obra

Obra de dimensão pequena
 

Erguer um muro baixo ou um muro com alguns metros de comprimento, em tijolo ou blocos. Fazer uma laje ou um piso com menos de 10 a 15 m².

 



Obra de dimensão média

 

Fazer uma laje com mais de 10 a 15 m², construir uma dependência (garagem...) ou uma pequena construção.

 



Obra de dimensão grande

 

Uma construção a partir de 20 m² no solo.

 

 

Critérios de escolha

Para fazer a escolha certa, é necessário determinar o rendimento pretendido e a dimensão da obra.

 

Volume útil

 

  • Trata-se de avaliar o espaço necessário para trabalhar a preparação, ou seja a capacidade de mistura;

 

  • Sempre inferior ao do tambor, corresponde à quantidade de mistura que pode ser obtida a cada carga (de 100 a cerca de 300 l).



Tamanho do tambor

 


 

  • Modelos pequenos (até 150 l de volume útil): são os que menos espaço ocupam, ideal para obras de pequena dimensão;

 

  • Modelos grandes (a partir 150 l de volume útil): adequam-se melhor às obras de grande dimensão do que às pequenas obras ou reparações. A mistura é mais homogénea e obtida mais rapidamente. 


Chassis

 

 

  • Sempre adaptado ao peso da máquina e à sua capacidade de mistura, também pode ser reforçado para uma melhor estabilidade.


Rodas
 

 

  • De grande diâmetro, tornam a máquina mais fácil de manobrar num piso irregular. Equipadas com pneus insufláveis (e não pneus sólidos), permitem também rebocar a betoneira.


Coroa

 

  • Elemento essencial para a longevidade da máquina;

 

  • Em ferro fundido, é muito mais resistente e pode ser substituída;

 

  • Seja qual for o material, deve ser protegida por uma espécie de tampa. Desta forma, reduz o risco de acidentes e impede o mecanismo de ser danificado pelo cimento, areia, argamassa, betão e outros detritos.


Conselho: Após utilização, enxaguar sistematicamente o tambor com água e, eventualmente, um punhado de cascalho. É aconselhável lubrificar regularmente a coroa.

Segurança

Normas europeias

 

  • Têm como objetivo tornar mais segura a utilização das betoneiras elétricas nas zonas húmidas.


Precauções diversas

 

 

  • Em termos elétricos, este tipo de máquina não é perigoso desde que sejam respeitadas as regras de ligação à rede e o afastamento do material da água;

 

  • Para evitar qualquer acidente, usar luvas e calçado de segurança;

 

  • Nunca colocar as mãos no tambor em movimento e mantê-las à distância da coroa;

 

  • Não utilizar uma betoneira para misturar outros materiais  que não sejam areia, cimento, cascalho e cal.
Escolher Loja

Para continuar a navegar no nosso site
por favor escolha a sua loja de preferência

Usar a minha localização actual
ou
Utilizamos cookies para proporcionar uma melhor experiência de navegação.
Antes de a aceitar, leia atentamente a nossa politica de privacidade e cookies. e escolha as suas preferências