Escolha a sua loja

Para continuar a navegar no nosso site por favor escolha a sua loja de preferência

Escolher

Introdução

Temos também de ter em conta o diâmetro de perfuração e o tipo de bucha a utilizar, sendo que alguns modelos requerem uma ferramenta especial para a colocação.

Não se esqueça também do aspeto da fixação que influencia a estética da obra.

 

A sua realização em 8 etapas:

 - Ferramentas a utilizar (Passo 1)

- A preparação (Passo 2)

- A perfuração (Passo 3)

- Bucha com aletas de expansão (Passo 4)

- Bucha de expansão (Passo 5)

- Bucha de impacto (Passo 6)

- Bucha autoperfurante (Passo 7)

- Selagem química (Passo 8)

- Fixação invisível (Passo 9)

Saiba como fixar cargas pesadas

1. A preparação

A. Definir a carga

 

Três níveis de cargas:

  • Leve: Inferior a 20 Kg
  • Média: 20 a 50 Kg
  • Pesada: superior a 50 Kg

 

Diâmetro de fixação:

  • Ø < a 6 mm

  • Ø 6 a 8 mm

  • Ø 10 mm ou +

 

Conselho: A capacidade de uma bucha é dada para um só ponto de fixação. Se colocar duas buchas, duplica a carga admissível, desde que os pontos de ancoragem sejam corretamente distribuídos. Desta forma é possível fixar uma peça de 80 ou 90 kg com duas buchas para carga média.


B. Determinar a natureza do suporte

Características a saber: o tipo de alvenaria, maciça ou oca, e a sua estrutura, dura ou friável.
                                    

Materiais maciços:

  • Duros - Betão batido (moldado); Tijolo maciço; Bloco de cimento maciço; Pedra natural.
  • Friáveis - Betão celular; Laje de gesso.

 

Materiais ocos:

  • Duros - Tijolo alveolar de construção; Tijolo de gesso; Laje e vão em betão ou terracota; Bloco de cimento oco.
  • Friáveis - Placa de gesso cartonado; Painel de revistemento isolante; Painéis alveolares com revestimento de gesso.

2. A perfuração

A. Marcar os pontos de fixação

Traçar a linha de colocação e, em função do entre-eixo requerido, assinalar com um traço os pontos de ancoragem.

 

 

B. Perfurar a parede

O furo para a fixação deve ser feito do mesmo diâmetro da bucha. Deve ser mais profundo de 10 mm do que o comprimento da bucha para deixar espaço à extremidade do parafuso e a eventuais resíduos de pó.

Conselho: para otimizar a fixação numa parede de blocos de cimento ou tijolos alveolares, usar buchas suficientemente compridas para alcançar a segunda ou, caso seja possível, a terceira alvéola.

Colocar uma broca adequada ao material da parede e perfurar perpendicularmente à divisória.
Num material oco e friável, nunca usar a percussão para evitar os estilhaços ou o alargamento do furo.
No betão, privilegiar o martelo perfurador que oferece uma potência de impacto mais elevada do que o berbequim.

Conselho: Para evitar a fragmentação do material, as fixações mecânicas devem estar suficientemente afastadas (15 mm no mínimo) das juntas e das extremidades dos blocos de construção. Igual para as placas ou painéis de revestimento.

 

 

C. Remover o pó

É importante limpar bem o furo após a perfuração. No caso de uma selagem química, é rigorosamente indispensável: caso contrário a resina não adere.

Começar por limpar o interior do furo com um escovilhão para remover o pó.

Terminar a limpeza com uma ferramenta apropriada, como por exemplo um soprador de mão. Existe em forma de pera ou com bomba, a segunda sendo preconizada para a ancoragem química.

Quando a cânula estiver inserida no furo, acionar o pistão para soprar o ar e expulsar o pó residual.

3. Bucha expansiva para materiais ocos

Este tipo de bucha coloca-se com o seu parafuso métrico. Num material mole como a placa de gesso, introduz-se facilmente à mão. Caso seja necessário, usar um pequeno martelo para terminar a operação.

 

 

Numa segunda fase, desapertar ligeiramente o parafuso.

 

 

Inserir (de baixo para cima) a ponta da pinça de expansão entre a gola e a cabeça do parafuso. Acionar o gatilho para expandir a bucha. Neste movimento, a bucha torna a sair enquanto os dentes da gola se fixam ao máximo à parede.

 

 

Numa terceira fase, retirar o parafuso. Colocar o objeto a suspender na parede e apertar o parafuso até ao bloqueio.

 

Conselho: Este tipo de bucha existe em versão autoperfurante com parafuso com extremidade pontiaguda. Podemos retirar e repor o parafuso tantas vezes quanto necessário sem enfraquecer a fixação.

4. Bucha de expansão

 

 Em montagem nivelada, retirar o parafuso métrico para introduzir a bucha com o martelo até ficar nivelada com a parede.

 

 

Para este tipo de fixação, uma chave de caixa é a ferramenta mais adequada.

Posicionar o elemento a fixar, repor o parafuso e apertar com a ajuda de uma chave. Durante o aperto, o cone de extremidade é atraído para o interior do casquilho da bucha, que se expande então contra as paredes do furo. Caso seja necessário efetuar um trabalho de manutenção ou uma reparação, a fixação nivelada autoriza a desmontagem e a reinstalação do equipamento fixado.

Conselho: Esta categoria de buchas inclui modelos para montagem transversal, que se inserem diretamente através das peças a fixar (chapas metálicas de corrimão por exemplo). Encontram-se também buchas similares de ancoragem reforçada por bloqueio de forma.

5. Bucha de impacto

 

Colocar a bucha em frente ao furo e introduzi-la com um martelo.

Fixar o objeto com a ajuda de um parafuso para madeira. O aperto afasta os segmentos da bucha até ao bloqueio. Num corpo oco, o ângulo de afastamento alcança 120°.

Conselho: Num material muito mole, a bucha pode ser introduzida sem perfuração.

6. Bucha autoperfurante

 

Como o próprio nome indica, esta bucha evita a perfuração do suporte.

Colocar a bucha no local da fixação e aparafusar, com a ajuda de uma chave de fendas ou de uma aparafusadora, até encostar a gola contra a parede. Trabalhar com uma velocidade lenta, especialmente se a parede for fina para não a danificar.

 

A fixação efetua-se igualmente com um parafuso para madeira.

 

Conselho: Nunca se deve sobrecarregar um móvel, seja ele qual for, sob pena de fragilizar as suas fixações e ver as suas prateleiras curvarem-se.

7. Bucha quimica

 

A parede deve ser perfurada com um diâmetro superior de 2 mm ao da haste roscada utilizada para a fixação.

Colocar o cartucho de resina, com a sua ponteira misturadora, numa pistola de extrusão. A fim de homogeneizar a mistura dos dois componentes, injetar um pouco de produto em vácuo.

Num material maciço, injetar diretamente a resina do fundo do furo para o exterior. Realizar a operação lentamente retirando a ponteira centímetro por centímetro.

Num material oco, colocar o crivo em plástico antes de injetar a resina. Vai expandir-se nas alvéolas passando através das malhas.
 

 

 

Introduzir a haste no produto de selagem, exercendo uma leve rotação para ajudar a introduzi-la e revesti-la corretamente. Cuidado para posicioná-la perpendicularmente à parede!

Aguarde até ao endurecimento completo (ver manual de utilização) antes de colocar o objeto e fixá-lo com uma porca e uma anilha intercalada.

8. Fixação invisível

A mástique cola de fixação permite colocar, sem trabalho de preparação, cargas pesadas sobre qualquer tipo de suporte. Únicas exigências: efetuar a colocação sobre uma superfície limpa e não húmida, em tempo seco.


Em função da realização, pode ser necessário manter a obra em pressão entre 24 e 48 horas por meio de uma escora.
Depois de seco, a mástique tem uma resistência mecânica de 30 a 50 Kg/cm² (consoante o produto).

9. Ferramentas e materiais

Ferramentas

- Berbequim ou torna
- Brocas para metal
- Alicate de cravar
- Martelo
- Bucha de expansão
- Aparafusadora de pladur
- Aparafusadora elétrica
- Chave de fendas
- Chave de roquete
- Soprador / Pistola de ar
- Pistola de cartucho
- Luvas
- Óculos de proteção
- Máscara anti-pó

Materiais

- Buchas metálicas para materiais maciços e ocos
- Bucha quimica
- Cartucho de injeção poliester ou vinilico.

Escolher Loja

Para continuar a navegar no nosso site
por favor escolha a sua loja de preferência

Usar a minha localização actual
ou